O “Projeto Longevidade”

envelhecimento-saudável-519x255Pense num estudo sobre longevidade, com mil e quinhentos meninos e meninas nascidos por volta de 1910, selecionados em 1921. Muitos deles morreram na faixa dos 60 anos, mas vários envelheceram com saúde e viveram bem até o final de suas vidas. Este estudo foi iniciado por Lewis Terman, psicólogo da Universidade de Stanford, ele faleceu em 1956, mas o estudo continuou.

Qual o segredo da manutenção da saúde dos mais longevos? Acredite, não estava em fatores como alimentação específica, exames médicos, vitaminas ou corrida. Mas eram indivíduos que mantinham certo conjunto de hábitos e padrões cotidianos. E mais, tinham relevância na saúde duradoura, a personalidade, a carreira profissional e a vida social.

Muitos estudos sobre o bem-estar são falhos, pela confiança que depositam nas respostas dos participantes sobre saúde e bem-estar. Normalmente são respostas subjetivas e imprecisas. E existem muitas crenças sobre saúde e longevidade, muitas delas são oriundas de fontes tendenciosas.

Um fato importante do estudo, no que diz respeito às doenças, é que a maioria que chegou à velhice não conseguiu isso porque derrotou um câncer, uma doença cardíaca ou pulmonar ou diabetes; na verdade, o que caracterizava os mais longevos é que, principalmente, se preveniam contra doenças sérias.

É bom saber que, no caso dos traços de personalidade, se eles não forem compatíveis com os caminhos da longevidade, é possível exercer um esforço para a expansão dos aspectos necessários.

Segundo esse estudo, que durou oitenta anos, e pode ser considerado um dos mais completos, a consciência foi o melhor indicador de longevidade. No final do século XX, 70% dos homens do estudo e 51% das mulheres já haviam morrido. Os considerados não conscienciosos entre eles morreram em um grande número.

Algumas coisas que as pessoas conscienciosas fazem: 1) Fazem mais coisas para proteger sua saúde e se envolvem menos em atividades arriscadas; 2) Algumas pessoas tem uma predisposição biológica a serem mais conscienciosas e saudáveis, elas evitam doenças ligadas ao tabagismo e ao alcoolismo e são menos propensas a muitas doenças, além de evitarem hábitos perigosos e 3) Uma pessoa de personalidade conscienciosa busca naturalmente situações e relacionamentos mais saudáveis.

longevidadeDe uma forma geral, pessoas conscienciosas traçam caminhos saudáveis vitalícios para si. Não há certeza sobre as razões fisiológicas precisas, mas parece provável que pessoas conscienciosas e não conscienciosas possuem níveis diferentes de certas substâncias químicas no cérebro, entre elas a serotonina. Indivíduos com os níveis baixos de serotonina tendem a ser mais impulsivos. A serotonina é o neurotransmissor-alvo de drogas antidepressivas como Prozac, Paxil e Zoloft, ela é também necessária para regular processos corporais relevantes para a saúde, incluindo o quanto se come e a qualidade do sono.

A questão é que a maioria de nós não somos pessoas conscienciosas. Além disso, mudanças rápidas e radicais geralmente são logo abandonadas por quem as empreende. Também é sabido que listas de coisas a serem feitas não são seguidas, na maioria das vezes, pelos pacientes de médicos. Ajustes duradouros normalmente se dão com passos menores e graduais. Mas pensando que pessoas conscienciosas e confiáveis se mantêm mais saudáveis e vivem mais tempo, o que podemos fazer?

 

Décio Marcellino

55 anos, pesquisador em qualidade de vida, transtornos mentais, drogadição, adolescência e suicídio; empreendedor; pós-graduando em Psicologia e Práticas Clínicas e em Avaliação Psicológica; graduado em Marketing e graduando em Psicologia.

 

Referência: FRIEDMAN, Howard S; MARTIN, Leslie R. O projeto longevidade: descobertas surpreendentes sobre a saúde e a vida longa a partir do estudo revolucionário de oito décadas. São Paulo: Prumo, 2012.

  1. Clair - 20 de maio de 2016 em 12:44

    Muito interessante! Uma iniciativa revolucionária! Sei por experiência que a dança trás benefícios físicos, sociais , afetivos e traz muita alegria e desafios a quem a pratica. Em Buenos Aires tem um grupo de pessoas que a cada quinze dias vão dançar em um asilo. Todos saem mais realizados. Enfim … É uma linda proposta! Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2017 - Studio de Dança Dois pra Lá Dois pra Cá
Desenvolvido por Fusion Webdesign